Home Prices at Historical lows

0

Statistically speaking, there’s an enormous probability that an Orlando REALTOR® is going to help an international client buy a home in Orlando in the coming year. In fact, according to the 2011 Profile of International Homebuyers In Florida, 77 percent of the Florida’s REALTORS® worked with an international client last year (up from the 65 percent reported in the 2010 survey).

“The international real estate market is crucial to Florida and to Orlando,” explains Rosana Almeida, an Orlando REALTOR® and member of the Orlando Regional International Council. “Approximately 25 percent of all sales in Florida are to foreigners. If you apply that percentage to Orlando, it would mean 6,925 of the 27,703 Orlando homes sold in 2011 went to foreign buyers.”

Orlando is the second most desired destination of foreign homebuyers, garnering 14 percent of the state’s market share. Only the Miami-Fort Lauderdale-Miami Beach area, which drew a whopping 30 percent of all international transactions, ranked higher.

Just who finds Orlando attractive? While you can certainly take your pick of potential clients from a king-sized pool of national origins, by a large margin it’s buyers from Canada, Brazil, and the United Kingdom that flock to Orlando. Those from Canada alone make up 38 percent of Orlando’s international buyers, while those from Brazil and the United Kingdom make up 16 percent and 14 percent, respectively.

Brazilian buyers tend to prefer condo-style homes (53 percent) located in central city and urban areas (also 53 percent). Other popular options include single-family homes (34 percent) and suburban areas (26 percent). As you would expect, homes of all types located in Orlando’s many resort areas attract Brazilians buyers.

Nearly all Brazilians use their homes in Orlando for a mix of vacation and rental-income purposes; the typical Brazilian personally spends three to six months in the property. They also overwhelmingly use cash to purchase their properties.

The favorable exchange rate and its current housing market conditions (see sidebar) are only a few reasons why Brazilians flock to Orlando.

Carmenza Gonzalez, president of international business development firm CZA, Inc., recently told Orlando REALTOR® magazine that Brazilians favor Orlando because of its lovely neighborhoods and wide variety of housing types. “In addition Orlando is both safe and spacious, two factors that are of particular concern to those from Brazil.”

And, of course, you can’t overlook Orlando’s top notch family attractions. Who in the world wouldn’t want to own a vacation home in Orlando?

The overall median price of Orlando homes has increased 12.75 percent over March 2011’s median price of $102,000, to $115,000. In addition, the March 2012 overall median price is 3.60 percent higher than that recorded in February 2012 ($111,000).

Inventory

The number of existing homes available for purchase in Orlando is continuing a steady decline that began in back in July 2010 at 16,563 and now rests at 8,666. In March 2012, inventory was 30.85 percent less than it was in March 2011.

The inventories of single-family homes and condos are both down: single-family by 31.95 percent and condo by 20.78 percent.

The current inventory combined with the current pace of sales equates to a 3.72-month supply of homes in Orlando, a pace not seen since December of 2005 when it was a 3.58-month supply.

Condos and Town Homes/Duplexes/Villas

The sales of condos in the Orlando area decreased by 23.20 percent in March when compared to March of 2011 (384 to 500).

The most (155) condos in a single price category that changed hands in March were yet again in the $1 – $50,000 price range and account for 40.36 percent of all condo sales.

Orlando homebuyers purchased 232 duplexes, town homes, and villas in March 2012, which is a 4.53 percent decrease compared to March 2011. Most (44) fell within the $100,000 – $120,000 price range; another 33 properties sold for less than $50,000. Por Zola Szerencses

Orlando Regional International Council

Estatisticamente falando, há uma enorme probabilidade de um corretor de Orlando ajudar um cliente estrangeiro a comprar um imóvel no próximo ano. Na verdade, de acordo com o Perfil dos Compradores Estrangeiros de Imóveis da Flórida de 2011, 77 por cento dos corretores de imóveis do estado trabalharam com pelo menos um cliente internacional no ano passado (mais que os 65 por cento reportados nessa mesma pesquisa em 2010).

“O mercado imobiliário internacional é indispensável para a Flórida e para Orlando” explica Rosana Almeida, corretora de imóveis e membro do Orlando Regional International Council. “Cerca de 25 por cento de todas as vendas realizadas na Flórida são para estrangeiros. Em Orlando, essa porcentagem significa 6.925 dos 27.703 imóveis vendidos na cidade em 2011.”

Orlando é o segundo destino mais procurado por esses compradores, detendo 14 por cento da fatia de mercado do estado. Apenas a área de Miami e Fort Lauderdale, responsável por incríveis 30 por cento de todas as transações internacionais, conseguiu números maiores.

Mas quem são os interessados pela cidade? Embora possamos escolher entre uma imensa gama de nacionalidades, os compradores mais frequentes vêm do Canadá, Brasil e Reino Unido. Sozinhos, os compradores do Canadá compõem 38 por cento do total, enquanto os do Brasil e do Reino Unido compõem 10 e 14 por cento, respectivamente.

Os brasileiros costumam preferir apartamentos (53 por cento), localizados no centro e nas áreas urbanas (também 53 por cento). Entre as opções que mais os agradam estão também as casas (34 por cento) e os subúrbios (26 por cento). Como era de se prever, imóveis de todos os tipos e situados em diferentes localidades atraem esses compradores.

Quase todos eles usam esses imóveis para duas finalidades: passar férias e obter uma renda extra, provinda do aluguel. O típico brasileiro passa de 3 a 6 meses na propriedade, e uma maioria esmagadora paga por esses imóveis em dinheiro. A taxa de câmbio favorável e as atuais condições do mercado imobiliário (veja ao lado) são apenas algumas razões pelas quais os brasileiros optam por Orlando.

Carmenza Gonzales, presidente da CZA, Inc., empresa de desenvolvimento de negócios internacionais, disse, recentemente, à revista Orlando Realtor que os brasileiros escolhem Orlando devido a seus agradáveis bairros e sua ampla variedade de imóveis. “Além disso, é uma cidade segura e ampla, dois fatores de extrema importância para os brasileiros.”

E, claro, não podemos esquecer da incrível gama de atrações familiares de Orlando. Quem no mundo não gostaria de possuir uma casa de férias aqui?

A média geral dos preços de imóveis da cidade subiu 12,75 por cento em março de 2011, de U$102.000,00 para U$115.000,00. Além disso, esses valores são 3,6 por cento mais altos que os registrados em fevereiro de 2012 (U$111.000,00).

Inventory

O número de casas disponíveis para compra em Orlando continua em uma queda estável, desde julho de 2010, quando o total era de 16.563. Hoje, parou em 8.666. Em março de 2012, esse número era 30,855 por cento menor que em março de 2011. 1,95 por cento do total é de apartamentos, e 20,78 por cento de casas.

Os números atuais, junto com o presente ritmo de vendas, equipara-se à oferta mensal de imóveis de Orlando, que é de 3,72 – algo que não se via desde dezembro de 2005, quando a oferta mensal era de 3,58 por cento.

Condos and Town Homes/Duplexes/Villas

As vendas de apartamentos na região de Orlando baixaram em 23,20 por cento em março deste ano, se comparadas a março de 2011 (384 a 500).

A maioria dos apartamentos (155) de uma mesma categoria de preço vendidos em março permaneceu, mais uma vez, na faixa de U$1 a U$50.000, sendo responsável por 40,36 por cento de todas as vendas.

Os compradores de imóveis de Orlando adquiriram 232 duplexes, town homes and villas em março de 2012, uma queda de 4,53 por cento em relação a março de 2011. A maioria (44) entrou da faixa de U$100.000 – U$120.00. Outras 33 propriedades foram vendidas por menos de U$50.000.

Share.

About Author

Leave A Reply